sexta-feira, 17 de abril de 2015

Quiche de cogumelos frescos, salmão fumado e espargos

Quando vi que os espargos iam estar em promoção no Lidl, fui a correr à caça deles! Não é todos os dias que os encontramos à venda, pela módica quantia de € 1,39 :)

Já há meses que não os comprava, porque me recuso a dar praticamente € 5,00 por um molho de espargos! A última vez que tinha comprado, também foi no Lidl, numa altura em que todas as semanas tinham promoções destas... isso é que foi tirar a barriga de miséria :) eheheh

Para mim, a junção perfeita para os espargos, é com ovos (embora assados só com sal, também fiquem muito bons), por isso o jantar não se adivinhava outro!

A receita é muito simples, mas o sabor... esse é de outro mundo, embora o salmão se destaque um pouco mais do que os espargos ;)

Ingredientes:
  • 1 cebola;
  • 2 dentes de alho;
  • 1 mão cheia de coentros;
  • 8 cogumelos frescos;
  • 1/2 molho de espargos verdes;
  • 100g de salmão fumado;
  • 5 ovos;
  • sal marinho, pimenta 5 bagas e alho em pó;
  • Ghee, óleo de coco ou azeite.

Preparação:

Pré-aquecer o forno a 180.º.

Cortar a cebola às meias luas, picar os dentes de alho e os coentros. Lavar, arranjar e fatiar os cogumelos frescos e os espargos verdes.

Saltear a cebola, os alhos e os coentros em ghee, até a cebola estar translúcida.

Juntar os cogumelos e os espargos e deixar cozinhar.

No final, juntar o salmão fumado desfiado e envolver bem para misturar os sabores. Temperar a gosto.

À parte, bater os ovos.

Dispor o preparado num forma redonda de silicone e colocar os ovos batidos por cima.

Levar ao forno durante cerca de 25m ou até estar cozinhado.

E voilá!!!

Acabada de sair do formo :)
Cá em casa acompanhou uma salada de cenoura, cebola, tomate, pimento vermelho, pepino e abacate, porque com estas refeições é o que me sabe bem, mas sintam-se à vontade de usar outro acompanhamento do vosso agrado! :)

Soube-me mesmoooooo bem!

Frango de fricassé

Se há receita que adoro, é esta! Tão simples e cheia de sabor! Era raro fazer em casa e agora, desde que lhe apanhei o jeito, não quero outra coisa :)

Faço assim:

Ingredientes:
  • 1 kg de coxas (ou pernas) de frango;
  • 1 cebola;
  • 3 dentes de alho;
  • 2 cenouras;
  • 2 gemas de ovo;
  • sumo de 2 limões;
  • 1/2 ramo de salsa picada;
  • Sal marinho, alho em pó e pimenta 5 bagas;
  • Ghee, óleo de coco ou azeite q.b.
Preparação:

Lavar bem o frango e retirar as peles maiores, temperando-o com sal, alho em pó e pimenta 5 bagas. Reservar.

Cortar a cebola em meias luas, picar os alhos, cortar as cenouras aos cubos, dispor tudo num tacho com ghee e saltear até a cebola estar translúcida. 

Adicionar as coxas de frango e deixar cozinhar, durante uns 5 m, em lume branco. 

Juntar um fundo de água (+/- até meio do frango), tapar o tacho e deixar estufar durante cerca de 15 a 20m. Temperar a gosto.

(A água é sempre a olho, não coloquem em demasia, porque senão o molho fica muito ralinho. Se verificarem que, a meio da cozedura precisa de mais água, adicionem mais um pouco). 

Quando o frango estiver cozinhado, retirar o tacho do lume.

À parte, diluir bem as gemas no sumo de limão. Juntar este preparado ao frango, polvilhar com a salsa picada e mexer sem parar, para as gemas não talharem, ainda com o tacho fora do lume.

Quando estiver bem incorporado, voltar a colocar o tacho ao lume, no mínimo, mexendo sempre, para as gemas cozinharem e o molho engrossar.

Está feito! É só servir e degustar! :)

O repasto! :)
Acompanhei a refeição com arroz de couve-flor com pimento vermelho, açafrão e coentros. Podem ver a respectiva receita aqui 

Garanto-vos que a combinação de sabores e texturas é maravilhosa!!! :)

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Moelas ou pipis de frango

Finalmente, consigo publicar esta receita aqui no estaminé!!! :) Já andava com a receita das moelas em falta há imenso tempo e hoje como fiz pipis de frango ou miúdos, como lhe queiram chamar, para o jantar - a receita é, exactamente, igual - aproveitei a embalagem para a publicar.

Todos os ingredientes são whole30 approved, o que significa que não foram usados quaisquer aditivos na sua confecção. Contudo, há que ter especial atenção ao chouriço que se compra, de forma a garantir que tem apenas carne, especiarias e sal, devendo para tanto, ler bem a informação nutricional. Se usarem tomate de lata, devem ver bem os ingredientes que são usados, igualmente. Passe a publicidade, os da marca do pingo doce costumam servir para o efeito ;)

E cá está ela! Simples de se confeccionar e melhor ainda de se comer :) eheheh

Ingredientes:  
  • 500g de miúdos de frango; 
  • ¼ chouriço picado (tenho usado o de bragança, marca continente, embora existam outros);
  • 1 cebola nova;
  • 2/3 dentes de alho;
  • 1 malagueta pequena;
  • 2 tomates reduzidos a puré ou 1/2 lata de tomate pelado triturado;
  • água q.b.;
  • 1 ramo de salsa;
  • ghee ou óleo de coco ou azeite;
  • Sal, alho e pimenta de 5 bagas.
Preparação:  

Lavar muito bem os miúdos de frango com água e vinagre para eliminar todas as impurezas.

Cortar a cebola às meias luas, picar os alhos e o chouriço, finamente.

Saltear em ghee, a cebola, os alhos e o chouriço. Juntar o tomate triturado, a malagueta e deixar cozinhar.

Juntar os miúdos de frango, se necessário, água q.b e temperar.

Quando estiver quase cozinhado, juntar a salsa picada e deixar cozinhar até apurar.

Servir com o acompanhamento do vosso agrado :)


Para mim, foi servido com uma salada com coentros e abacate, mas com puré também fica muitoooo bom! Que pitéu!!! :)

O termo do whole30 e a reintrodução dos alimentos eliminados

Após o termo do whole30, segue-se a fase mais importante deste programa: a reintrodução dos alimentos “menos saudáveis”, por forma a perceber quais os alimentos que me provocam intolerâncias e que se manifestam negativamente no meu organismo, face ao regresso das minhas alergias, conforme contei aqui e aqui.

De acordo com o site oficial do whole30 e tendo em conta que, durante este período – 30 dias (no meu caso, 60 dias), foram eliminados vários alimentos, tais como o açúcar, álcool, cereais, leguminosas e lacticínios, permitindo fazer um reset ao organismo, deveremos ser prudentes na forma como os voltamos a reintroduzir, sob pena de se perder o intuito do programa acima mencionado.

Pelo que, aconselham a que se faça a reintrodução de cada um daqueles alimentos, em dias separados, voltando nos dias seguintes ao whole30 (ou ao mais próximo possível), permitindo desta forma, identificar qual o alimento, em concreto, que nos provoca alterações no organismo.

No entanto, se houver algum alimento que saibamos à partida que não nos faz bem, nem vale a pena reintroduzi-lo! Assim, o intuito é reintroduzir só aqueles alimentos que sabemos que queremos incluir, efectivamente, na nossa alimentação.

No site oficial encontramos também um calendário de 10 dias com uma sugestão para reintrodução dos alimentos, mas como não consumo, nem posso consumir glúten, por causa da minha tiroidite autoimune, adaptei o calendário às minhas necessidades. 

Como também prevejo que possam advir reacções adversas aos lacticínios, vou introduzir o iogurte grego, o queijo (fresco e mais gorduroso, como o da ilha) e a manteiga, em dias diferentes, para perceber o seu real impacto no organismo.

Assim e tendo em conta que, amanhã começo a fase de reintrodução dos alimentos eliminados no whole30, este irá ser o meu calendário para os próximos dias: 
  • Dia 14 de Abril (3.ª-feira)reintrodução dos lacticínios:  iogurte grego e requeijão, mantendo as restantes regras do whole30 - procurei comprar os produtos o mais artesanais possíveis;
  • Dia 15 de Abril (4.ª-feira)reintrodução dos lacticínios: queijo da ilha e manteiga, mantendo as restantes regras do whole30 - procurei comprar os produtos o mais artesanais possíveis;
  • Dia 16, 17 e 18 de Abril (5.ª-feira, 6.ª-feira e sábado)eliminação dos lacticínios e regresso ao whole30;
  • Dia 19 de Abril (domingo)reintrodução dos cereais sem glúten: aveia, arroz e, eventualmente, quinoa, mantendo as restantes regras do whole30; 
  • Dia 20, 21 e 22 de Abril (2.ª, 3.ª e 4.ª-feira)eliminação dos cereais e regresso ao whole30;
  • Dia 23 de Abril (5.ª-feira)reintrodução das leguminosas: ervilhas, lentilhas e, eventualmente, grão-de-bico, mantendo as restantes regras do whole30;
  • Dia 24 e 25 de Abril (6.ª-feira e sábado)eliminação das leguminosas e regresso ao whole30;
  • Dia 26 de Abril (domingo): reintrodução do açúcar: chocolate com mais de 70% de cacau, mantendo as restantes regras do whole30;
  • Dia 27 de Abril e seguintes (2.ª-feira): regresso ao whole30 por tempo indeterminado e avaliação da fase de reintrodução.
Confesso que, estou algo receosa sobre a reintrodução, em particular, dos lacticínios, face à reacção que os antibióticos prescritos para erradicar a helicobacter pylori me provocaram no organismo (após ler a bula informativa, verifiquei que um deles continha lactose e, desconfio que tenha sido esse o motivo de me terem voltado as alergias, nesse período), mas sei que tenho de passar por este processo, para perceber, definitivamente, o que me provoca estas alergias e intolerâncias.

No entanto, independentemente dos resultados da fase de reintrodução, sei que a grande maior parte das alterações introduzidas na minha alimentação no whole30, são para manter, desde logo, a composição das refeições, em particular do pequeno-almoço, ainda que, com a reintrodução de alguns alimentos retirados no programa.

Encontrei nesta forma de alimentação, o mais natural possível, um bem-estar inigualável, níveis de energia e boa disposição constante, um sono verdadeiramente reparador e uma ausência de fome constante, conforme tinha contado aqui - o que me permitiu também controlar os meus níveis de insulina, que deviam andar no auge e, consequentemente, melhorar a composição corporal. 

Posso, eventualmente, fazer uma ou outra panqueca ou papa de aveia ou granola para o pequeno-almoço ou lanche, mas essa não vai ser a regra, porquanto não é o que me sacia verdadeiramente, conforme cedo percebi no whole30, mas esporadicamente, serei forçada a dar uma facada na alimentação eheheh (já ando a sonhar com sushi - só para avisar!).

As boas fontes de gordura, tal como a naturalmente presente nos alimentos, também continuarão presentes na minha alimentação, uma vez que, deixei de ter medo destas, motivo pelo qual não voltarei a descurá-las como fiz até aqui :) 

Estou ainda a pensar em deixar de suplementar com proteína de soro de leite - whey - particularmente, a de sabor, face à quantidade de açucares e adoçantes usados na sua composição. No entanto, como é uma excelente fonte de proteína de absorção rápida (ideal para o pós-treino) e bastante prática de se usar, a versão sem sabor, parece-me ser uma boa aposta. Contudo, como ainda tenho alguma whey de sabor em casa, não a vou deixar, obviamente, estragar :p

Venha uma nova fase!!! :)

domingo, 12 de abril de 2015

Sopa lenta de carne

Com o whole30 a terminar, vou começar a partilhar algumas das receitas usadas... e a primeira só pode ser uma das minhas grandes paixões... a sopa lenta de carne!

Durante praticamente 2 meses, não houve semana que não a fizesse. Ora, servia para pequeno-almoço ou lanche ou para jantar, conforme o que me apetecia :)

Esta foi também uma das grandes revoluções no meu pequeno-almoço... comer sopa, com ou sem carninha! Mas confesso que depois de se começar o dia desta forma, não se quer outra coisa, porque nos sentimos verdadeiramente saciados e nutridos! Primeiro estranha-se, mas depois entranha-se! :)

Para além do sabor incrível desta sopa, acrescem ainda inúmeros benefícios, tendo em conta que através do processo de cozedura lenta se obtém melhor os nutrientes dos alimentos e de minerais importantes. Aconselho-vos a ler todos os benefícios aqui.

Quanto à receita, não fui eu que inventei a pedra! :p A belinha da página Comida a Sério partilhou comigo como fazia a dela e eu tratei de a adaptar ao meu gosto, conforme aconselho sempre a que façam!

Garanto-vos que é a melhor sopinha do mundo <3

Normalmente, uso sempre a mesma base (de acordo com o meu gosto!) e se tiver sobras de legumes perdidas no frigorífico, aproveito-as sempre na sopa também.

Faço assim:

Ingredientes:
  • 1 cebola;
  • 3 dentes de alho;
  • 2 cenouras;
  • 1 alho francês:
  • 1 curgete;
  • 1/2 ou 1 couve-lombarda, consoante o tamanho;
  • 1 nabo;
  • sobras de outros legumes: brócolos, couve-flor, couve roxa, beringela e outros;
  • 1 colher de sopa rasa de sal marinho;
  • 2 a 4 pernas de frango ou outra carne a gosto;
  • água q.b.
Preparação:

Lavar, arranjar e cortar os legumes, grosseiramente.

Colocá-los numa panela bem grande, com o sal, dispor o frango por cima e encher com água quase até tapar.

Levar a panela ao lume até ferver. Nesta altura, tapar a panela e passá-la para o bico do fogão mais pequeno e colocar o lume no mínimo.

Deixar cozinhar entre 4 a 8 horas. 

Após a cozedura, retirar o frango, limpá-lo de ossos, peles e desfiá-lo para a sopa ou para um recipiente à parte, conforme preferirem.

Demora, mas não se irão arrepender, seguramente! :)

A primeira! Nunca me hei-de esquecer dela :) eheheh
Acompanha morangos, creme de coco, raspa de laranja e canela
Acompanha um bulletproof coffee
Acompanha anona com manteiga de caju e canela
Acompanha kiwi e lascas de coco torrado
Acompanha morangos, creme de coco e pepitas de cacau cru 
Estas foram algumas das minhas refeições com ela... e mais irão haver! Não é o calor que nos vai afastar <3